O irmão da gente

Meu irmão é o cara que eu mais admiro de graça. De graça porque ele é um mistério pra mim. Sei que não sei nadinha dele. Ele é um grande mistério que eu não preciso desvendar. Vou amá-lo para sempre e muito, descobrindo seus segredos ou não. Porque ele me faz sorrir cada vez que penso nele. Porque ele me “dá nos nervos” cada vez que lembro que ele conversa berrando, sejam 6h da manhã ou da noite. Porque ele faz parte do lado “agressivo” da minha infância, que queria socá-lo quando ele quebrava minhas bonecas ou mexia na minha agenda – mas tudo bem, porque a gente sempre acabava junto se escondendo da mãe por horas no banheiro. Porque ele era o menino mais “efeitos sonoros” que eu já vi, e me faz querer chorar de saudades lembrando ele enchendo a bochecha de ar para fazer “pfff pahhh viiiishhh” imitando Jiraiya, Comandos em Ação ou qualquer outra atração da época.

Meu irmão é o amigo que todo mundo quer ter, inclusive eu. Ele é daqueles caras que comanda a mesa, assim, naturalmente. Mesa de bar ou de reunião, ele é o cara que faz acontecer. Daqueles caras que falam tão bem que se você não estiver preparado, meu amigo, vai terminar de boca aberta dizendo amém! Este cara é o meu irmão e eu morro de orgulho! Aquele menininho lindo e “zoiudo” virou este homem eloquente, estudioso, cheio de interesse pelas coisas que lhe interessam – sim, porque tolerância não é o seu forte, então jamais tentem fazer ele ser o que não quer! Eu tentei ensinar geometria analítica uma vez e me dei super mal. rs. Ele é assim, faz o que quer, o que gosta, o que acredita. Passei a vida toda não entendendo muito bem este seu jeito, mas hoje eu consigo admirá-lo muito mais justo por isso. Por ele ser apenas o que ele quer ser. Sem dar muita importância para o resto.

Meu irmão é o professor que todo mundo quer ter, (de novo) inclusive eu. Porque ele é apaixonado, e não tem nada que supere a determinação de alguém que faz o que ama. Ele reclama, mas ama. Ta escancarado nos seus olhos enormes e escuros que ali reside um professor de verdade. Um professor que sabe o que fala. Que estuda porque gosta de estudar.

Meu irmão é um cara engraçado. Eu também sou, mas ele é muito mais! Ele é daquelas pessoas que a gente descreve como sendo “uma figura!”, porque nao tem um jeito melhor de se descrever este tipo de gente. Sabe aquele humor inteligente, meio negro, meio sarrista? Eu adoro isso nele. Delícia ouvir ele falar – mesmo muito alto. rs. Delícia ouvir aquela sua gargalhada. Felicidade de lembrar quando ele ri de chorar, e, meu Deus, que escândalo que ele faz! Meu irmão é caras e bocas e sombrancelhas erguidas.

Meu irmão é isso tudo e um monte de outras coisas. Muitas eu desconheço. Muitas talvez eu ainda possa conhecer e outras muitas, não. Porque meu irmao é uma figura, mas uma figura reservada. Mas eu nao me importo. Torço para ele sempre confiar em mim, e tudo bem. Ele é assim. O pouco que eu vejo já me deixa pra lá de feliz em ser sua irmã. Cara, sei que ele diria agora “para com isso, Amelinha”, mas nao tem como não falar: po, como eu amo este meu irmão!