[dualidades]

é perceber que há o outro
mas por não se enxergar nele recorrer aos velhos padrões para enfim vê-lo

é perceber a existência do tempo
mas usá-lo como uma triste métrica para catalogar a vida no antes agora e finalmente o depois

é perceber a passagem da vida
mas enxerga-la como um emaranhado de acontecimentos sem se atentar onde estão as causas dos efeitos que repulsamos

é perceber que estamos onde escolhemos
mas insistir em encontrar culpados externos a si mesmo para justificar o que não agrada

é perceber que há luz
mas enxerga-la sempre como algo de fora que precisa ser perseguida

é perceber e buscar o amor
mas não encontra-lo em si e depender do outro para que ele seja sentido

e quem sabe de um outro

e de um outro
e de um outro.

 

Trilha poderia ser Hozier, From Eden